Notícias

Como contestar resultado do Auxílio Emergencial?

Aplicativo do benefício permite que cidadão recorra o resultado da análise

Os cidadãos cidadãos que tiveram o Auxílio Emergencial negado pelo governo podem contestar o resultado, segundo a Caixa.

Através do aplicativo do Auxílio Emergencial, o cidadão pode recorrer do resultado da análise efetuada pela Dataprev, responsável por verificar os dados.

Outra a alternativa serve tanto para quem fez a solicitação via aplicativo e site, quanto para os inscritos no Cadastro Único e que ainda não receberam o auxílio

Veja abaixo como fazer:

Inscritos no Cadastro Único

Os cidadãos inscritos no Cadastro Único, que atendem aos requisitos do Auxílio Emergencial devem ter seus benefícios pagos automaticamente. Caso o cidadão não recebeu e acredite que se enquadra nos requisitos, ele pode verificar o resultado por meio do aplicativo do Auxílio Emergencial.

Caso o trabalhador tenha tido seu auxílio reprovado, ele pode fazer uma nova solicitação através do próprio aplicativo.

Inscritos via aplicativo e site

O cidadão deve verificar por meio do aplicativo do Auxílio Emergencial o status de seu pedido.

  • Em análise: os dados ainda estão sendo analisados pela Dataprev.
  • Benefício não aprovado: o trabalhador pode contestar o motivo da não aprovação através do aplicativo. Também pode, alternativamente, realizar nova solicitação.
  • Dados inconclusivos: o trabalhador poderá fazer nova solicitação. Ao fazer o novo pedido, deve ficar atento aos possíveis motivos para a inclo, segundo a Caixa:
Entre os principais motivos que geram um resultado inconclusivo estão:
  • Marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro;
  • Falta de inserção da informação de sexo;
  • Inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;
  • Divergência de cadastramento entre membros da mesma família;
  • Inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.
  • Se regularizou ou atualizou os dados recentemente, deve aguardar ao menos três dias para realizar nova tentativa

A Caixa também informou os principais motivos para a negativa do Auxílio Emergencial:

  • Ser menor de 18 anos;
  • Ser empregado com carteira assinada;
  • Estar recebendo Seguro Desemprego;
  • Aposentado ou pensionista do INSS;
  • Receber demais benefícios, com exceção do Bolsa Família: Benefício de Prestação Continuada (BPC); Auxílio Doença; Garantia Safra; Seguro Defeso;
  • Ser de família com renda mensal por pessoa mais de meio salário mínimo (R$ 522,50);
  • Renda familiar mensal total maior que três salários mínimos (R$ 3.135);
  • Ter tido rendimentos tributáveis, em 2018, acima de R$ 28.559,70, ou seja, que tenha declarado Imposto de Renda em 2019;
  • Cadastro como “mãe solteira” de mulher casada;
  • Cadastro de mais de duas pessoas da mesma família;
  • Limite maior que duas pessoas que recebem Bolsa Família;
  • CPF irregular (deve regularizar junto à Receita Federal);
  • CPF de pessoa falecida;
  • Cadastro em aplicativo ou site fraudulento, que não seja o Auxílio Emergencial Caixa.

Ferramenta permite consultar o motivo da exlusão

Além disso, todos os cidadãos que solicitaram o auxílio emergencial de R$ 600 terão acesso a uma nova ferramenta disponibilizada pelo governo para consultar a situação da sua solicitação. Além do portal e do aplicativo da Caixa, os solicitantes poderão acompanhar, a partir de hoje, 5 de maio, o detalhamento dos seus pedidos por meio dos seguintes endereços: www.cidadania.gov.br/consultaauxilio e https://consultaauxilio.dataprev.gov.br .

Os brasileiros poderão acompanhar todos os detalhes da sua solicitação, como:

  • Resultados;
  • Datas de recebimento e envio dos dados pela Caixa à Dataprev e vice-versa;
  • Motivação da negativa do benefício;
  • Análise da segunda solicitação.

O portal já está disponível para pesquisas do CPFs dos solicitantes. Segundo o governo, esse portal tem oo objetivo de dar transparência ao processo de análise, processamento, homologação e pagamento do benefício.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, desabilite o adblocker para visualizar vagas