Artigos

Cafeína: A Assassina Silenciosa do Sucesso

O Dr. Travis Bradberry é co-autor premiado do livro best-seller número 1, Inteligência Emocional 2.0, e co-fundador do TalentSmart, fornecedor líder mundial de testes de inteligência emocional, treinamento de inteligência emocional e certificação de inteligência emocional, servindo mais de 75% das empresas da Fortune 500. Seus livros best-sellers foram traduzidos para 25 idiomas e estão disponíveis em mais de 150 países.

Em uma postagem do LinkedIn, Travis fala dos malefícios provocados pela ingestão de cafeína. Confira a tradução do EmpregoBahia.COM abaixo:

A dica desta semana para melhorar seu desempenho é o método mais simples e direto que forneci até agora. Para muitas pessoas, essa dica tem o potencial de causar um impacto maior do que qualquer outra ação isolada. A pegada? Você tem que reduzir a cafeína, e como qualquer bebedor de cafeína pode atestar, isso é mais fácil dizer do que fazer.

Para aqueles que não estão cientes, a capacidade de gerenciar suas emoções e manter sua calma sob pressão tem um link direto para seu desempenho. O TalentSmart conduziu uma pesquisa com mais de um milhão de pessoas e descobriu que 90% dos funcionários de alto desempenho possuem um alto nível de inteligência emocional. Esses indivíduos são hábeis em administrar suas emoções (mesmo em momentos de alto estresse) para manter a calma e o controle.

O bom: não é muito bom

A maioria das pessoas começa a beber cafeína porque as faz sentir-se mais alertas e melhora o humor. Muitos estudos sugerem que a cafeína realmente melhora o desempenho de tarefas cognitivas (memória, atenção, etc.) a curto prazo. Infelizmente, esses estudos não consideram os hábitos de cafeína dos participantes. Uma nova pesquisa da Johns Hopkins Medical School mostra que o aumento do desempenho devido à ingestão de cafeína é o resultado de bebedores de cafeína experimentando uma reversão de curto prazo da retirada de cafeína. Ao controlar o uso da cafeína nos participantes do estudo, os pesquisadores da John Hopkins descobriram que a melhora do desempenho relacionada à cafeína é inexistente, sem a retirada da cafeína. Em essência, sair da cafeína reduz o seu desempenho cognitivo e tem um impacto negativo no seu humor. A única maneira de voltar ao normal é beber cafeína, e quando você bebe, você sente que está levando você a novas alturas. De fato, a cafeína está apenas levando seu desempenho de volta ao normal por um curto período de tempo.

O ruim: adrenalina

Beber cafeína desencadeia a liberação de adrenalina. A adrenalina é a fonte da resposta de “luta ou fuga”, um mecanismo de sobrevivência que força você a se levantar e lutar ou correr pelas colinas quando enfrenta uma ameaça. O mecanismo de luta ou fuga evita o pensamento racional em favor de uma resposta mais rápida. Isso é ótimo quando um urso está perseguindo você, mas não é tão bom quando você está respondendo a um breve e-mail. Quando a cafeína coloca seu cérebro e corpo neste estado hiper-estimulado, suas emoções superam seu comportamento.

Irritabilidade e ansiedade são os efeitos emocionais mais comuns da cafeína, mas a cafeína permite que todas as suas emoções assumam o controle.

Os efeitos negativos de uma onda de adrenalina gerada por cafeína não são apenas comportamentais. Pesquisadores da Carnegie Mellon University descobriram que grandes doses de cafeína aumentam a pressão sanguínea, estimulam o coração e produzem respiração rápida e superficial, que os leitores do Intelligence Emotional 2.0 sabem priva o cérebro do oxigênio necessário para manter seu pensamento calmo e racional.

O feio: o sono

Quando você dorme, seu cérebro literalmente recarrega, vasculhando as memórias do dia e armazenando-as ou descartando-as (o que causa sonhos), para que você desperte alerta e mente clara. Seu autocontrole, foco, memória e velocidade de processamento de informações são reduzidos quando você não consegue o suficiente – ou o tipo certo – de sono. Seu cérebro é muito instável quando se trata de dormir. Para você acordar sentindo-se descansado, seu cérebro precisa se mover através de uma série elaborada de ciclos. Você pode ajudar com este processo e melhorar a qualidade do seu sono reduzindo sua ingestão de cafeína.

É por isso que você vai querer: a cafeína tem uma meia-vida de seis horas, o que significa que leva vinte e quatro horas para sair do sistema. Tome uma xícara de café às oito da manhã, e você ainda tem 25% da cafeína em seu corpo às oito da noite. Qualquer coisa que você beba depois do meio-dia ainda terá 50% de força na hora de dormir. Qualquer cafeína na corrente sanguínea – com os efeitos negativos aumentando com a dose – dificulta adormecer.

Quando você finalmente adormece, o pior ainda está por vir. A cafeína perturba a qualidade do seu sono ao reduzir o sono dos movimentos rápidos dos olhos (REM), o sono profundo quando o corpo recupera e processa as emoções. Quando a cafeína prejudica seu sono, você acorda no dia seguinte com uma deficiência emocional. Você naturalmente estará inclinado a tomar uma xícara de café ou uma bebida energética para tentar se sentir melhor. A cafeína produz ondas de adrenalina, o que aumenta sua desvantagem emocional. A cafeína e a falta de sono deixam você cansado durante a tarde, então você bebe mais cafeína, o que deixa você ainda mais na corrente sanguínea antes de dormir. A cafeína cria muito rapidamente um ciclo vicioso.

Abstinência

Como qualquer estimulante, a cafeína é fisiológica e psicologicamente viciante. Se você optar por diminuir sua ingestão de cafeína, você deve fazê-lo lentamente sob a orientação de um profissional médico qualificado. Os pesquisadores da Johns Hopkins descobriram que a abstinência de cafeína causa dor de cabeça, fadiga, sonolência e dificuldade de concentração. Algumas pessoas relatam sentir sintomas de gripe, depressão e ansiedade após reduzir a ingestão em apenas uma xícara por dia. Lentamente afinar sua dose de cafeína a cada dia pode reduzir bastante esses sintomas de abstinência.

Artigo originalmente publicado no LinkedIn

Mostrar mais
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor desabilite o adblocker para visualizar vagas