Notícias

Auxílio Emergencial: Governo lança ferramenta para cidadão saber o motivo da exclusão

Através da ferramenta os beneficiários poderão acompanhar todo o detalhamento do processo como resultados, datas de recebimento e envio dos dados pela Caixa à Dataprev e vice-versa, além da motivação da negativa do benefício. Também poderá ser verificada a análise da segunda solicitação

Todos os cidadãos que solicitaram o auxílio emergencial de R$ 600 terão acesso a uma nova ferramenta disponibilizada pelo governo para consultar a situação da sua solicitação. Além do portal e do aplicativo da Caixa, os solicitantes poderão acompanhar, a partir de hoje, 5 de maio, o detalhamento dos seus pedidos por meio dos seguintes endereços: www.cidadania.gov.br/consultaauxilio e https://consultaauxilio.dataprev.gov.br .

Os brasileiros poderão acompanhar todos os detalhes da sua solicitação, como:

  • Resultados;
  • Datas de recebimento e envio dos dados pela Caixa à Dataprev e vice-versa;
  • Motivação da negativa do benefício;
  • Análise da segunda solicitação.

O portal já está disponível para pesquisas do CPFs dos solicitantes. Segundo o governo, esse portal tem oo objetivo de dar transparência ao processo de análise, processamento, homologação e pagamento do benefício.

O lançamento da nova ferramenta acontece em meio às grandes filas que têm se formado nas agências da Caixa no país. E também depois do Ministério Público Federal dar um prazo de cinco dias, iniciado na segunda-feira, 4 de maio, para que o Ministério da Cidadania preste esclarecimentos sobre as “dificuldades” no pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 para diminuição do impacto gerado pela pandemia.

Em ofício enviado na segunda-feira, 4 de maio, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão exigiu explicações sobre a data de referência usada pelo governo federal para exame do vínculo formal de emprego de quem recebeu a primeira parcela, no mês de abril. Os procuradores também querem saber, qual o procedimento para os cidadãos que perderam o emprego após essa data de referência e não fazem jus ao seguro desemprego.

Cadastros inconclusivos devem ser refeitos

Quase 13 milhões de cidadãos que solicitaram o Auxílio Emergencial de R$ 600 deverão refazer seus cadastros pelo site ou pelo aplicativo do programa. De acordo com a Caixa, esse é o número representa os inscritos que tiveram seus cadastros avaliados como “inconclusivos”, isto é, que colocaram informações que não foram possíveis de serem analisadas na primeira solicitação, que podem ser dados divergentes de endereço, dependentes ou CPF, entre outros.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, apenas os solicitantes cujo cadastro foi determinado como inconclusivo podem fazer essa solicitação. Aqueles que tiveram suas solicitações negadas e tiveram resposta como inelegíveis estão excluídos definitivamente. “Inelegíveis não podem recadastrar, só os inconclusivos”, afirmou Guimarães.

Os dados divulgados pela Caixa na sexta-feira, 1 de maio,  mostra que, de um total de quase 100 milhões de inscrições no programa, pouco mais da metade foram aprovados, e outros 5 milhões ainda estão passando pela primeira análise. Dos restantes, cerca de 26 milhões foram considerados inelegíveis – e aproximadamente 12 milhões de cadastros foram dados como inconclusivos.

O recadastramento deve ser feito via aplicativo ou site, da mesma forma que foi feito o primeiro cadastramento, de acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

A Dataprev, órgão público responsável por identificar quem tem direito a receber o auxílio emergencial, divulgou dados ligeiramente diferentes: segundo a empresa, dos 96,9 milhões inscritos que já foram analisados e enviados à Caixa, 50,52 milhões atenderam aos requisitos e foram considerados elegíveis para receber o benefício. Outros 32,77 milhões estão inelegíveis e cerca de 13,67 milhões foram considerados como inconclusivos.

Calendário de pagamentos da segunda parcela

Segundo o presidente da Caixa, as datas de pagamento da segunda parcela do Auxílio Emergencial serão divulgadas nesta semana. O calendário inicial previa a liberação dos recursos a partir de 27 de abril. A Caixa chegou a anunciar a antecipação dos pagamentos, mas ela foi cancelada – e uma nova data ainda não foi apresentada. Esse pagamento da segunda parcela que está indefinido engloba os inscritos no aplicativo e site e inscritos no Cadastro Único que não recebem Bolsa Família – os beneficiários desse último vão receber os recursos segundo o calendário habitual do benefício.

“Será na semana que vem, com certeza”, afirmou Guimarães na última sexta-feira. De acordo com ele, a proposta da Caixa para o calendário já está pronta, mas ainda será apresentada por ele e pelo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, ao presidente Bolsonaro, que precisa aprová-lo.

“Eu não vou anunciar agora, porque eu ainda tenho que bater com o ministro Onyx, ministro da Cidadania e nós dois iremos ao presidente da República Jair Bolsonaro, e só após o presidente da República concordar com todo o cronograma que nós vamos em conjunto apresentar, é que nós poderemos falar com vcs, mas certamente será na semana que vem”, afirmou.

Calendário de pagamentos da segunda parcela

Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, informou na quinta-feira, 30 de abril,  que só será possível dar início ao pagamento da segunda parcela quando a Caixa Econômica Federal fornecer o detalhamento dos pagamentos da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600,

Tudo indica que isso será feito quando os dados de quem se cadastrou pelo site e aplicativo até o dia 26 de abril for levantado. O governo estima que todos os cidadãos inscritos no aplicativo e site da Caixa Econômica Federal até o dia 26 de abril teriam os dados analisados até a última quinta-feira.

Aqueles que foram inscritos pelo sistema da Caixa para receber o auxílio são os trabalhadores informais, autônomos, contribuintes individuais do INSS, microempreendedores individuais (MEIs) e desempregados.

A Caixa Econômica Federal anunciou anteriormente a antecipação do pagamento da segunda parcela, mas o Ministério da Cidadania informou que isso não seria possível. Previstos inicialmente para começarem na última segunda-feira (27), os problemas que surgiram no processo levou a suspensão temporária do repasse, assim os pagamentos da segunda parcela do auxílio emergencial ainda não têm data definida. Na semana anterior, o Ministério da Cidadania anunciou que nesse semana definiria o novo calendário para pagamento da segunda parcela.

Esse pagamento da segunda parcela que está indefinido abrange os inscritos no aplicativo e site e inscritos no Cadastro Único que não recebem Bolsa Família.

R$ 35,5 bi pagos a 50 milhões

A Caixa divulgou que desde o dia 9 de abril, quando iniciou o pagamento do Auxílio Emergencial de R$ 600, até as 10h desta terça-feira, 5 de maio, já pagou cerca de R$ 35,5 bilhões para 50 milhões de cidadãos.

Até o momento, 51,1 milhões de cidadãos já concluíram o cadastro no site e no aplicativo, onde informais, autônomos, desempregados e MEIs podem solicitar o benefício.

Entre 27 de abril e 14h de segunda feira, 4 de maio, foram realizados mais de 4 milhões de saques sem cartão da Poupança Social Digital totalizando R$ 2,43 bilhões.

O site auxilio.caixa.gov.br superou a marca de 670 milhões de visitas e a central exclusiva de atendimento 111 registrou mais de 125 milhões de ligações. O aplicativo Auxílio Emergencial Caixa já tem mais de 77 milhões de downloads e o aplicativo Caixa TEM, para movimentar a poupança digital, já passa de 82 milhões de downloads.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor desabilite o adblocker para visualizar vagas

VOCÊ JÁ TEM TELEGRAM?

VOCÊ JÁ

PARTICIPA DO NOSSO 
GRUPO DE EMPREGOS NO
 TELEGRAM?